Novidade Blog Crianca Celiaca

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Montevidéu - Uruguai

Em Montevidéu também tem muita oferta de produtos sem glúten. A rede de mercados Ta-Ta e Disco tem gôndolas separadas com várias marcas de cereais, biscoitos, macarrão, farinhas, alfajor, etc.
Embora haja toda essa oferta, tem uma coisa que eu sinto muita falta e não encontro para vender: pão.
Sabe àquele pão feito na hora? Pode ser uma baguete ou qualquer outro pão, mas poder chegar em algum lugar, comprar um pão e comer na hora, sem ter que aquecê-lo, seria maravilhoso!
Como saíamos de manhã para passear e voltávamos somente à noite, eu levava a comida para aquecer em algum lugar. Em todos os restaurantes, eles tem boa vontade e "calientam" a comida em pote fechado, no micro-ondas. Estão todos atentos à contaminação e são bem prestativos. Normalmente oferecem a parrilla, que é o nosso churrasco, aqui no Brasil. Lá, eles temperam somente com sal e numa grelha bem grande eles assam no carvão a carne, a linguiça e o frango. Delicioso e sem contaminação! Não tem farinha de trigo na grelha nem pão com alho!
No segundo dia em Montevidéu, o meu marido descobriu uma Rotisseria, duas ruas acima de onde estávamos, com vários produtos sem glúten. Trata-se da SIN RIVAL. Com vários endereços espalhados peça cidade, tivemos a sorte de encontrar uma loja bem próximo de onde estávamos hospedados. Eles fazem massas com glúten e os produtos sem glúten, são comprados de uma empresa, portanto, preparados em outro local. Nesta loja, eles ficam numa geladeira separada, onde por fora, há uma faixa bem grande escrito: celíacos. Tem nhoque, empanadas de diversos sabores, pão para pancho (hot dog) e alfajor. Conversei com o dono e quando falei sobre contaminação, ele riu e me explicou que tudo é feito fora dali, com a maior segurança e, nada tem contato com os produtos que eles fabricam por lá.
No dia seguinte, fomos ao Museu do Futebol e depois pegamos um táxi para irmos almoçar. O La Comeddia que me indicara estava fechado. Fomos então ao Mercado Agrícola e almoçamos no Pellicer.  Este restaurante não tem cardápio para celíaco, mas me disseram que recebe muitos turistas celíacos. O atendente me deu aula sobre contaminação cruzada e me disse quais os pratos eu poderia pedir que não haveria glúten e nem contaminação. De postre (sobremesa), pedimos um helado (sorvete). Vem na taça com três bolas: morango, creme e chocolate.




Em frente ao Pellicer, tem o Helado Autor, com vários sabores de sorvete de massa. Eu indico o de dulce de leche. Dos deuses!
No Mercado Agrícola, que mais parece o nosso mercado municipal, aqui em São Paulo, tem várias lojas com produtos sem glúten e, dentre elas, o Almacén del Celíaco , porém é tudo muito caro e não gostei do atendimento. Eles tem um micro-ondas para aquecer as empanadas que compramos lá, mas não tem área para comer. É somente uma loja para comprar.
No final da tarde, de volta ao apartamento, na 18 de Julio, perto da Praça do Entrevero (esqueci de anotar o nome), achamos outra loja com produtos sem glúten. Tem um balcão pequeno para comer e eles aquecem as empanadas para comermos na hora e fazem um suco. Lanchamos ali mesmo. Nesta loja, tem pão de fôrma com frios numa bandeja de isopor e quando aquecemos, o pão fica mega macio! Além das empanadas, tem bolo, alfajor, bolo no pote e várias outras sobremesas. Eu fiz amizade com duas argentinas que estavam de férias em Montevidéu e estas me disseram que em Buenos Aires tem muitos lugares para comer sem glúten.
Em nosso último dia em Montevidéu, o que pude perceber é que não existem muitos restaurantes especializados em comida sem glúten, mas como os uruguaios comem muita parrilla e é tudo temperado somente com sal, é muito tranquilo comer por lá. As papas fritas e papas al plomo acompanham a parrila (eles não tem hábito de comer muito arroz). Papas al plomo são batatas assadas inteiras com casca e tudo e sem recheio. Papas fritas são as batatas fritas e é só confirmar se tem uma fritadeira somente para elas. A maioria dos lugares fritam as batatas separadamente.





Embora não haja muitos restaurantes, há várias lojas e mercados com produtos sem glúten, e o mais importante: todo mundo sabe o que é celíaco e te dão aula sobre contaminação!
Em nosso último dia nesta cidade tão gostosa, comemos um pancho La Pasiva, na praça do Entrevero. Lembra que eu disse que na SIN RIVAL vende pão para pancho (hot dog)? Então, levamos o pão sem glúten e eles trocam as luvas para colocar a salsicha com o bacon tostado no pão. A minha filha comeu conosco e ficou superfeliz!


Nenhum comentário:

Postar um comentário