Novidade Blog Crianca Celiaca

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Eduarda e seus prolemas





Milena era uma menina supersimpática e gentil. Na escola, sempre estava rodeada de amigos. A sua melhor amiga, Sofia, também era bem popular. Ela fazia balé, natação e na corrida, ninguém a alcançava!


Certo dia, a professora passou uma tarefa em grupo:


- Meninas, vocês irão formar um grupo de quatro pessoas para fazer um trabalho, e nele,  contar  por quê você são felizes. Anotem os motivos e a partir daí façam uma peça de teatro. A melhor apresentação irá ganhar nota dez!


Todos na sala de aula ficaram agitados e os grupos logo foram se formando.

Milena e Sofia se uniram e chamaram Vitória e Eduarda.


- Meninas, quando chegarmos nas nossas casas, vamos anotar no nosso caderno por quê somos felizes e amanhã cada uma de nós vai ler para montarmos a peça.


No dia seguinte, as meninas se reuniram e Milena começou a ler uma lista interminável do porquê ela era uma garota feliz. Da mesma forma fizeram Sofia e Vitória.


Quando chegou a vez de Eduarda, ela disse:


- Eu não anotei nada! – e logo começou a chorar. 


As meninas se entreolharam assustadas e logo Sofia disse:


- Eduarda, não precisa chorar só porque você não fez as anotações. É só escrever agora!


E ainda em meio às lágrimas, Eduarda disse:


- Sabe o que é, meninas, eu não anotei nada porque eu não tenho motivo para ser feliz.


- Como assim? – responderam juntas, as outras três amigas.


- É simples. Vocês são felizes porque não tem problemas. Daí, fazem amizade com todo mundo e são superconhecidas na escola. Mas eu tenho vários motivos para ser triste: eu não posso tomar leite, nem comer nenhum alimento que tenha lactose, como doce de leite, por exemplo. E ainda por cima eu tenho osteoporose e sinto muitas dores no meu corpo – por isso eu nem me animo a praticar nenhum esporte. – respondeu Eduarda enxugando as lágrimas.


- E daí? – perguntaram as três amigas num só coro.


- Então você não tem nada mais de bom na sua vida? – perguntou Milena. – Você não tem pai, mãe, uma casa e roupas confortáveis para vestir?

Sofia então, aproximou-se da amiga e disse:

- Eduarda, você sabia que eu não posso chupar balas nem pirulitos porque eu tenho alergia a corantes alimentícios? Até os meus bolos tem de ser com chantily branco porque eu tenho alergia a todos os corantes. 


- E eu que tenho asma e sinto falta de ar? – comentou Vitória. – Eu faço o uso de bombinhas e faço inalação quase todos os dias e nem por isso deixo de praticar esporte. Eu faço natação e isto ajuda a melhorar a minha asma.


Eduarda ficou olhando aquelas meninas que pareciam ter uma vida perfeita e foi quando Milena sentou-se ao lado dela e disse:


- Amiga, por acaso você sabia que eu sou celíaca e tenho osteoporose?


Eduarda olhou a amiga sem acreditar no que estava ouvindo.


É isso mesmo! – continuou Milena. Eu não posso comer bolos, pães, biscoitos, pizzas nem nada que contenha glúten. Se eu for chupar uma bala eu tenho que ler se contém glúten ou não porque se eu comer algum alimento com glúten, me faz muito mal. E osteoporose eu passei a ter a pouco tempo e muitos dizem que está ligado à celíaca. Eu sinto dores no corpo, mas justamente por isso é que eu tenho que praticar muito esporte. Por isso eu faço balé e natação. Quanto mais parada eu ficar, pior para mim.


Naquele momento, Eduarda começou a perceber que aquelas amigas de classe que lhe pareciam tão perfeitas, também tinham problemas, mas que nem por isso elas eram tristes. Pelo contrário, elas eram superpopulares na escola, participavam de todas as atividades e estavam sempre alegres.


Puxa, meninas, eu pensava que vocês não tinham problemas, mas sabe que vocês tem razão? Eu tenho a minha família, meu cachorro Pingo, meus avós, meus primos e vocês, que são amigas maravilhosas. Eu sou feliz! – disse Eduarda, abrindo um lindo sorriso.


As quatro garotas se abraçaram e naquele dia, Eduarda fez uma lista enorme de vários motivos os quais a tornava uma menina feliz.


No dia da apresentação, as quatro amigas foram vestidas de fada e quando  iniciou o teatro,  cada uma deu um passo à frente, e disse o porquê era feliz.

Quando chegou a vez de Eduarda, com a varinha de condão nas mãos, ela começou a dançar como uma fada e dizer:


- Eu tenho vários motivos para ser uma fada feliz: eu tenho um quarto de fada, tenho brinquedos que só uma fadinha tem, tenho uma professora linda, que mais parece uma fada e até os meus dentinhos que caem, é uma fadinha que recolhe e deixa dinheiro debaixo do travesseiro para mim. Sim, eu sou a fada mais feliz do mundooooo!


A sua empolgação era tão grande que a menina conseguiu contagiar toda a turma da sala e logo, todos começaram a aplaudi-la de pé.


A professora ficou muito feliz e deu nota dez para o grupo dela.


As quatro garotas se abraçaram cheias de alegria e daquele dia em diante, Eduarda já não era mais uma garota triste e emburrada, pois ela sabia que, o que não faltava era motivos para ser feliz!



Autora: Erivane de Alencar Moreno

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Chef Carla Serrano

A oferta de de produtos sem glúten tem aumentado muito em São Paulo. E uma das pessoas que tem contribuído para esta oferta é a Chef Carla Serrano.
Especializada na cozinha sem glúten, além de vender os seus deliciosos quitutes ela também ministra aulas de culinária em várias regiões do Brasil.

Veja aqui como contactá-la: 

Chef Carla Serrano www.chefcarlaserrano.com 
E-mail: chefcarlaserrano@gmail.com
Instagram: @chefcarlaserrano

Produtos: bolos, pães e pizzas

Abaixo, algumas fotos de seus produtos.







sábado, 23 de agosto de 2014

Bolo MFP 36 - Sem glúten, sem lactose

Mais um bolo da Gilda Moreira.
De todos os que comi (e olha que todos são bons), achei este o melhor!
Para ver mais receitas dos maravilhosos pães que a gilda faz, acesse o site dela:
http://cozinhando-sem-gluten.blogspot.com.br/2014/03/pao-36-mfp.html



Ingredientes:
1 xíc de Mix Pan Schär ou outra farinha preparada sem glúten
1 xíc de polvilho doce
1 xíc de farinha de arroz
1 sachê (10g) de fermento biológico seco 
1 colher de café de CMC (espessante que ajuda na liga das massas sem glúten) 
2 ovos
1 clara
1 CS de açúcar
1 colherinha de sal
1 xíc de água morna (quentinha)
3 CS de azeite
1 CS de vinagre de maçã

Comecei preparando a levedura do fermento.
Misturei em uma tigela: o fermento, o açúcar e água morna. Cobri e deixei levedando até espumar e dobrar de volume. Cerca de 20 a 25 minutos e a levedura está pronta.
Enquanto isso em outro recipiente juntei todos os ingredientes secos  e na xícara de medidas misturei os ovos (gemas sem pele), a clara, o azeite e o vinagre. Misturei tudo e juntei com os ingredientes secos. Logo inclui a esponja do fermento. Mexi tudo com uma espátula até formar uma massa homogênea. 
Transferi para o recipiente da panificadora e liguei no ciclo ultra-rápido - 1h15m - Pão escuro
Assim que deu o sinal, desliguei a máquina e desenformei o pão.
Ele forma uma casquinha por fora e fica mega macio por dentro!





Padaria Sabor de Saúde

De todas as padarias especializadas em produtos sem glúten que visitei, a Sabor de Saúde, na minha opinião é uma das melhores.
A Elizabeth, dona do estabelecimento, é uma simpatia em pessoa.
Aos sábados, você pode tomar um delicioso café da manhã com direito a pães de diversos tipos e bolos. A Elizabeth sempre coloca algum produto para que os clientes possam degustar.
No restante do dia você poderá namorar a vitrine de salgados e doces e escolher comer uma coxinha de frango ou de palmito, uma empada ou pão de queijo (sem leite), e de sobremesa tem sempre vários sabores de bolo recheados sem glúten e sem lactose, bem como brownie de chocolate ou trancinha de coco. Enfim, você tem diversas opções para se deliciar na Sabor de Saúde!
Muitos se perguntam quanto custa tudo isso. Bem, pelas minhas andanças em estabelecimentos sem glúten eu posso afirmar que sem dúvida o preço não é abusivo. Neste local, você poderá unir sabor a preço justo e sair de lá completamente satisfeito.
Além de comer no local, você poderá também fazer as suas compras. O Sabor de Saúde tem pão de mel, biscoitos, toda a linha de produtos da Schar, Aminna e ainda congelados da Santo Dom e da própria marca.
Segue abaixo fotos do local.

http://www.sabordesaude.com.br
Av. Fagundes Filho, 923 Zona Sul de São Paulo (próximo metrô São Judas)
Fone: 11 - 2872-0500









quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Bolos Caseiros by Silvia Kawaguti

Há um ano no mercado e estes produtos da Silvia Kawaguti já estão se tornando febre em São Paulo.
Alguns deles você poderá encontrar em lojas especializadas Mundo Verde, Sabor de Saúde, etc.
Mas se você quiser fazer encomendas diretamente com ela também pode.
Quer fazer um bolo de aniversário e todos os docinhos, tudo sem glúten? A Bolos Caseiros by Silvia Kawaguti está aqui para te ajudar.
Vários produtos sem glúten e sem lactose!
Ainda não tem loja física. Curta a sua página no facebook.
Fone: 11 - 98748-1747







Kukacake Sem Glúten

Bateu uma vontade de comer um minibolo bombom? Cupcake? Salgados? A Kukacake faz para você!
Tudo sem glúten, sem contaminação e muito gostoso!
A Kukacake fica em São Paulo - SP. Por enquanto não tem loja física.
Contato por email: eebeppler@hotmail.com
Curta página da Kukacake no Facebook e veja as delícias quem tem por lá.
 


 

Isis Valverde x Doença Celíaca

Temos uma vasta lista de famosos que tem doença celíaca. Portanto, saiba que você não está sozinho (a) nesta luta.
E para que você saiba que os famosos também sofrem com a alimentação sem glúten, segue abaixo um vídeo da nossa "musa celíaca" Isis Valverde.
Veja como ela descobriu ser celíaca e a dificuldade em encontrar alimentos sem glúten.



segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Padaria Lilóri - São Paulo-SP

Já pensou em chegar a uma padaria e poder comer de tudo o que tem por lá, sem medo de contaminação cruzada? Pois então, este lugar existe e atende pelo nome de Lilóri.
Localizada na região dos Jardins, em São Paulo (travessa da Avenida Paulista), a recém inaugurada padaria sem glúten, sem lactose e sem conservantes, tem diversos tipos de pães (em formato de baguetes), tortas doces, salgadas, bolos e tudo isto em um ambiente muito acolhedor.
Você pode pedir pão na chapa, chocolate quente feito com leite de amêndoas e chocolate Belga, ou se esbaldar no brunch (comer à vontade todos os produtos servidos no café da manhã por um preço fixo).
O valor do brunch é de R$ 43,00.
Se bater uma vontade de comer pão australiano ou o pão Lilóri, é só ligar com até 48h de antecedência para receber estes produtos fresquinhos em sua casa.
Veja abaixo, fotos do local, dos produtos e sobretudo, do rostinho feliz da minha filha ao poder comer tudo o que estava exposto.











Site da Padaria: http://www.lilori.com.br/padoca

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Criança sabe das coisas

Muitas pessoas acham difícil a missão de explicar a uma criança que ela não pode comer determinados alimentos.
Eu costumo dizer que a dificuldade ou a limitação em explicar, está nos adultos e não na criança. Esta, assimila muito rapidamente as informações e são capazes de entender perfeitamente o que podem ou não comer.
O que ocorre é que muitas vezes o adulto não demonstra firmeza ao conversar com a criança e assim que ela percebe isto, sabe que se chorar, fizer birra ou usar de algum outro argumento, os pais ou o adulto que estiver à frente, cederá, e desta forma ela poderá voltar a comer o que quiser.
Isto acontece quando muitos pais tentam convencer os filhos de que é importante comer alimentos saudáveis. Os pais conversam, explicam, mas basta o filho demonstrar resistência que logo lhe é oferecido uma guloseima. E por que isto acontece? Por dó. Sim, os pais tem dó de não dar o que o filho pede mesmo sabendo que o alimento lhe fará mal.
No entanto, quando se tem um filho diabético ou celiaco, não há alternativa porque estamos falando aqui de uma restrição severa na alimentação e neste caso, a preocupação em vê-lo doente é maior do que a vontade de ceder. Nestes casos, os pais explicam e reforçam diariamente, criando assim uma educação alimentar desde cedo, onde a criança cresce dando uma aula do que pode ou não comer.
Um exemplo, é a filha da Ivana Mello, de Camaragibe -
Pernambuco. Sua filha Tarsila, de 6 anos é celíaca e dá uma aula sobre o glúten e o que pode ou não comer.
Vejam abaixo a entrevista que esta pequenina e sua mãe, deram à radio CBN:



Entrevista Tarsila CBN

OU

http://cbn.globoradio.globo.com/editorias/pais/2014/07/26/FALTA-DE-NUTRICIONISTAS-E-O-PRINCIPAL-DESAFIO-PARA-ESCOLAS-E-ALUNOS-DA-REDE-PUBLICA-QUE.htm