Novidade Blog Crianca Celiaca

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Eduarda e seus prolemas





Milena era uma menina supersimpática e gentil. Na escola, sempre estava rodeada de amigos. A sua melhor amiga, Sofia, também era bem popular. Ela fazia balé, natação e na corrida, ninguém a alcançava!


Certo dia, a professora passou uma tarefa em grupo:


- Meninas, vocês irão formar um grupo de quatro pessoas para fazer um trabalho, e nele,  contar  por quê você são felizes. Anotem os motivos e a partir daí façam uma peça de teatro. A melhor apresentação irá ganhar nota dez!


Todos na sala de aula ficaram agitados e os grupos logo foram se formando.

Milena e Sofia se uniram e chamaram Vitória e Eduarda.


- Meninas, quando chegarmos nas nossas casas, vamos anotar no nosso caderno por quê somos felizes e amanhã cada uma de nós vai ler para montarmos a peça.


No dia seguinte, as meninas se reuniram e Milena começou a ler uma lista interminável do porquê ela era uma garota feliz. Da mesma forma fizeram Sofia e Vitória.


Quando chegou a vez de Eduarda, ela disse:


- Eu não anotei nada! – e logo começou a chorar. 


As meninas se entreolharam assustadas e logo Sofia disse:


- Eduarda, não precisa chorar só porque você não fez as anotações. É só escrever agora!


E ainda em meio às lágrimas, Eduarda disse:


- Sabe o que é, meninas, eu não anotei nada porque eu não tenho motivo para ser feliz.


- Como assim? – responderam juntas, as outras três amigas.


- É simples. Vocês são felizes porque não tem problemas. Daí, fazem amizade com todo mundo e são superconhecidas na escola. Mas eu tenho vários motivos para ser triste: eu não posso tomar leite, nem comer nenhum alimento que tenha lactose, como doce de leite, por exemplo. E ainda por cima eu tenho osteoporose e sinto muitas dores no meu corpo – por isso eu nem me animo a praticar nenhum esporte. – respondeu Eduarda enxugando as lágrimas.


- E daí? – perguntaram as três amigas num só coro.


- Então você não tem nada mais de bom na sua vida? – perguntou Milena. – Você não tem pai, mãe, uma casa e roupas confortáveis para vestir?

Sofia então, aproximou-se da amiga e disse:

- Eduarda, você sabia que eu não posso chupar balas nem pirulitos porque eu tenho alergia a corantes alimentícios? Até os meus bolos tem de ser com chantily branco porque eu tenho alergia a todos os corantes. 


- E eu que tenho asma e sinto falta de ar? – comentou Vitória. – Eu faço o uso de bombinhas e faço inalação quase todos os dias e nem por isso deixo de praticar esporte. Eu faço natação e isto ajuda a melhorar a minha asma.


Eduarda ficou olhando aquelas meninas que pareciam ter uma vida perfeita e foi quando Milena sentou-se ao lado dela e disse:


- Amiga, por acaso você sabia que eu sou celíaca e tenho osteoporose?


Eduarda olhou a amiga sem acreditar no que estava ouvindo.


É isso mesmo! – continuou Milena. Eu não posso comer bolos, pães, biscoitos, pizzas nem nada que contenha glúten. Se eu for chupar uma bala eu tenho que ler se contém glúten ou não porque se eu comer algum alimento com glúten, me faz muito mal. E osteoporose eu passei a ter a pouco tempo e muitos dizem que está ligado à celíaca. Eu sinto dores no corpo, mas justamente por isso é que eu tenho que praticar muito esporte. Por isso eu faço balé e natação. Quanto mais parada eu ficar, pior para mim.


Naquele momento, Eduarda começou a perceber que aquelas amigas de classe que lhe pareciam tão perfeitas, também tinham problemas, mas que nem por isso elas eram tristes. Pelo contrário, elas eram superpopulares na escola, participavam de todas as atividades e estavam sempre alegres.


Puxa, meninas, eu pensava que vocês não tinham problemas, mas sabe que vocês tem razão? Eu tenho a minha família, meu cachorro Pingo, meus avós, meus primos e vocês, que são amigas maravilhosas. Eu sou feliz! – disse Eduarda, abrindo um lindo sorriso.


As quatro garotas se abraçaram e naquele dia, Eduarda fez uma lista enorme de vários motivos os quais a tornava uma menina feliz.


No dia da apresentação, as quatro amigas foram vestidas de fada e quando  iniciou o teatro,  cada uma deu um passo à frente, e disse o porquê era feliz.

Quando chegou a vez de Eduarda, com a varinha de condão nas mãos, ela começou a dançar como uma fada e dizer:


- Eu tenho vários motivos para ser uma fada feliz: eu tenho um quarto de fada, tenho brinquedos que só uma fadinha tem, tenho uma professora linda, que mais parece uma fada e até os meus dentinhos que caem, é uma fadinha que recolhe e deixa dinheiro debaixo do travesseiro para mim. Sim, eu sou a fada mais feliz do mundooooo!


A sua empolgação era tão grande que a menina conseguiu contagiar toda a turma da sala e logo, todos começaram a aplaudi-la de pé.


A professora ficou muito feliz e deu nota dez para o grupo dela.


As quatro garotas se abraçaram cheias de alegria e daquele dia em diante, Eduarda já não era mais uma garota triste e emburrada, pois ela sabia que, o que não faltava era motivos para ser feliz!



Autora: Erivane de Alencar Moreno

Nenhum comentário:

Postar um comentário