Novidade Blog Crianca Celiaca

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Comendo fora

Todos sabemos do risco em comer fora de casa. 
No entanto, tomando os devidos cuidados é perfeitamente possível levar os nossos filhos para não só comer, mas para vivenciar o lado social que é conhecer restaurantes diferentes e estar entre várias pessoas.
Para isso, é só fazer as seguintes perguntas ao cozinheiro:

- usam temperos prontos, como Sazón ou algum caldo de carne? Nós só podemos usar temperos naturais como sal, alho, cebola, ervas e pimenta.
- usam creme de cebola? (Em alguns pratos como almôndegas, algumas carnes, colocam esse creme de cebola pronto que tem glúten).
- engrossam o feijão com farinha de trigo? (Alguns restaurantes tem o hábito de engrossarem o caldo do feijão com farinha de trigo. É raro, mas vale à pena perguntar).
- usam óleo novo para fritar batata? Se for a mesma fritadeira ou óleo reutilizado para fritar a batata, esta fica contaminada.
- qual molho pronto utilizam? A maioria não contém glúten, mas vale à pena perguntar.
- na chapa onde são feitos os grelhados, colocam farinha de trigo? Grelham somente carne e aves, ou pães também?
- algumas aves e carnes são banhadas na cerveja. Importante confirmar.

Se o restaurante for bom e os funcionários competentes e humanos, eles aceitarão o seu pedido e poderão fazer algumas adaptações:

- grelhar ou fritar uma carne ou um filé de frango numa frigideira à parte.
- fritar uma porção de batata frita no óleo novo (uma porção para a criança).

Para que a minha filha possa usufruir da experiência de comer fora (eu acho importante), eu adotei o seguinte método: tenho um restaurante de confiança onde meu marido adora comer filé à parmegiana. No dia em que decidimos comer neste local, eu faço uns dois filés à parmegiana em casa, meia hora antes de sairmos. Levo num pote de vidro e quando chegamos lá eu converso sempre com o mesmo garçon. O arroz que eles fazem só tem tempero natural e eles tem uma fritadeira somente para batatas com óleo novo. Ele então monta o prato dela igual ao nosso. Aquece o bife no pote que eu levo (importante aquecer no pote fechado, pois o microondas pode estar contaminado com glúten), e coloca no prato dela junto ao arroz e as fritas. Ela nem percebe a diferença, mas sabe que o dela é especial.
Tenho também uma cantina onde os donos são maravilhosos!
Cozinho o espaguete e dou um choque térmico com água gelada para brecar o cozimento. Assim, quando chego à cantina o macarrão não está grudento, pelo contrário, ele fica soltinho e ao dente. Quando chego à cantina, converso diretamente com o dono, o qual faz um molho à parte (mesmo o molho deles não tendo glúten eu peço essa gentileza). Ele costuma trazer a massa numa cumbuca (porção individual), com bastante molho e queijo por cima.
A cumbuca dela vem igual as demais e assim ela come juntamente às demais pessoas da mesma.
Parece trabalhoso, mas eu já me acostumei tanto a fazer isso nesses  lugares que mais vale a alegria de poder sair e vê-la vivenciar essa experiência do que o trabalho em sí.

Restaurantes os quais vivenciamos estas experiências:

- Bar do Alemão (Franquia no Estado de São Paulo e matriz em Itú/SP)


- Fornalha Restaurante 
 Avenida Robert Kennedy, 1699, Socorro - S - Telefone 11 5523-2666

Nenhum comentário:

Postar um comentário