Novidade Blog Crianca Celiaca

terça-feira, 6 de maio de 2014

A Casa de Doces







Era uma vez dois irmãos de nome Pedrinho e Gigi que moravam perto da floresta.

Gigi era diabética e não podia ficar comendo doces. Além disso, ela sempre andava com o seu kit salva vidas, que era o aparelho de medir a glicemia, uma fruta e uma bala e a insulina, em sua bolsinha. Assim, se a glicemia que é o açúcar no sangue estive alta ela aplicaria uma dose de insulina e se estivesse muito baixa ela comeria uma fruta ou chuparia uma balinha.

Certo dia sua mãe lhe pediu que fosse pegar galhos secos para ascender à lareira, mas pediu que não fossem muito longe.

E lá se foram Pedrinho e Gigi correndo, encantados pelas flores e árvores que havia pelo caminho. E para não se perderem, o garoto teve uma ideia genial: foi jogando pedaços de biscoito pelo caminho, pois assim seguiriam o caminho das migalhas na volta e não se perderiam.

Já no meio da floresta os dois começaram a brincar de pega a pega, de esconde-esconde e o tempo passou. Quando perceberam já estava escurecendo.

Ao resolver voltar para a casa, perceberam que as migalhas de biscoito já não estavam mais onde eles haviam colocado. Os passarinhos que moravam por ali comeram tudo e desta forma Pedrinho e Gigi não sabiam mais o caminho de volta para a casa.

Cansados e com fome, eles precisavam encontrar um lugar para passar a noite.

Pedrinho então subiu num galho de árvore bem alto e avistou uma luz acesa.

- Deve ser uma casa. Vamos lá, Gigi! – disse ele.

E correndo, os dois foram em direção aquela casa.

Ao chegar ali eles chamaram bem alto:

- Olá! Tem alguém em casa?

E lá de dentro saiu uma velhinha graciosa.

- Entrem meus meninos. – disse ela, com um sorriso amigável.







Quando Pedrinho e Gigi entraram tiveram uma surpresa: a mesa estava cheia de doces. Bolos, tortas, chocolates, biscoitos, sorvetes, enfim, variados tipos de doces estavam sob a mesa da cozinha.

- A senhora vende doces? – perguntou Pedrinho.

- Sim, estão sentindo o cheiro de caramelo? São balinhas que estão no fogo. E podem comer tudo o que vocês quiserem.

- Ela não pode porque tem diabete! - exclamou Pedrinho.

- Ah, é? Então comam esta comida – disse a velhinha, colocando um belo frango assado com arroz, feijão e salada em cima da mesa.

Eles comeram tudo e cansados, adormeceram.

Quando acordaram, perceberam que a velhinha os havia acorrentado ao pé da mesa. Com jeitinho, Pedrinho conseguiu abrir o cadeado e fugir, mas Gigi ficou presa ao pé daquela mesa cheia de doces.

Então aquela velhinha que parecia ser boa, disse:

- Preciso que você experimente todos estes doces e se estiverem bons eu sairei para vendê-los.

- Mas, por que a senhora mesma não experimenta? – perguntou Gigi, assustada.

- Porque sempre que como muito doce eu passo mal, então não posso mais ficar experimentando esse montão de doces que faço todos os dias. Eu preciso de alguém para trabalhar para mim e experimentar tudo o que eu faço.

Gigi era destemida e sabia que mais cedo ou mais tarde alguém apareceria para salvá-la, mas o problema eram os doces. Como resistir a tanta coisa gostosa? Mas ela se lembrou que sua mãe sempre dizia que ela deveria resistir a tentação.





Os dias se passaram e Gigi só comia o almoço e jantar que a velhinha lhe trazia. Nos intervalos, ela olhava como estava a sua glicemia e comia as frutas que tinha levado consigo. Em nenhum momento ela passou mal porque soube se cuidar conforme a sua mãe lhe ensinou.

Todos os dias, quando a velhinha fazia um novo doce, Gigi fingia experimentar e dizia que estava maravilhoso e ela poderia vender.

Passado algum tempo, alguém bateu à porta. A velha má foi atender e para sua surpresa quem era? O irmão de Gigi e seus pais.

Quando conseguiu fugir, Pedrinho se embrenhou pela floresta e encontrou o caminho de casa. Aflito, contou aos seus pais o que havia acontecido e todos saíram em busca da menina.

Ao ouvir a voz de seus pais, Gigi gritou:

- Estou aqui! Estou aqui na cozinha!

Eles entraram, tiraram as correntes que prendiam Gigi e a libertaram.

- Você está bem, filhinha? –perguntou a sua mãe, preocupada.

- Sim, mamãe. Eu estava com o meu kit salva vidas e todos os dias apliquei a insulina como a senhora me ensinou. E não comi nenhum doce, somente frutas e comida.

Quando a velhinha ouviu toda a conversa ela disse: - Será que eu sou diabética também?

Então os seus pais a levaram para fazer exame e descobriram porque a velha sempre passava mal quando comia muito doce: o açúcar em seu sangue subia muito e desta forma descobriram que ela era diabética.

A velha pediu mil perdões e disse que nunca mais em sua vida iria prender nenhuma criança ao pé da mesa e que seria uma pessoa boa para todos.






O tempo passou e certo dia, passeando junto à sua família pela cidade, Pedrinho e Gigi viram aquela velhinha vendendo doces e foram cumprimentá-la.

Ela gentilmente ofereceu-lhes um pedaço de bolo e, antes que alguém pudesse dizer alguma coisa ela acrescentou:

- Pode comer Gigi, porque o bolo é diet. Depois que eu descobri que tenho diabetes, me especializei em doces sem açúcar e agora só faço delícias diets.

Feliz, Gigi mediu a sua glicemia e viu que poderia sim comer um pedacinho de bolo diet. E todos passearam felizes pela cidade.

Autoria: Erivane de Alencar Moreno

Nenhum comentário:

Postar um comentário